Quase dois milhões de portugueses vivem sem ou com deficiências de saneamento

Hoje, 19 de novembro, assinala-se o Dia Mundial das Casas de Banho ou do Saneamento

19 de novembro de 2013 - 09h40

Assinala-se hoje, pela primeira vez no mundo, o Dia Mundial das Casas de Banho. Em Portugal, tem havido uma grande evolução nas últimas décadas no que toca a saneamento, mas muitas casas continuam por ligar à rede pública de esgotos.

Atualmente, existem 44 mil pessoas sem água canalizada em casa (0,6% das famílias) e 50 mil não têm retrete (0,7%).

80 mil pessoas não têm autoclismo e 156 mil pessoas não têm instalações de banho ou duche (1,9%). 18 mil das famílias (0,7%) não têm ainda qualquer sistema de esgotos.

Resumindo, 5% das casas não tem pelo menos uma infraestrutura considerada básica. Os números estão no último recenseamento feito em 2011 pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) constata que, apesar da evolução positiva nas últimas décadas, milhares de portugueses têm as redes públicas à porta de casa, mas continuam a preferir correr riscos desnecessários.

SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários