Afinal, quantas horas devemos dormir?

Um estudo recentemente publicado na revista científica Sleep Medicine conclui que a quantidade de horas de sono necessária varia de género. De hábitos. E da qualidade da noite. A investigação também conclui que quem dorme menos, falta mais ao trabalho.
créditos: SXC

Todos têm um palpite. Dormir seis, sete, oito, nove ou apenas quatro horas. A quantidade "perfeita" varia de pessoa para pessoa. Mas fisica e psiquicamente, que efeitos terá um sono incompleto? E afinal, quantas horas se deve dormir?

Uma investigação publicada na revista científica Sleep Medicine avança que a quantidade ideal de sono por noite é de sete horas e 36 minutos para as mulheres e sete horas e 48 minutos para os homens.

O número foi obtido depois da análise de dados de 1885 homens e 1875 mulheres finlandeses, recolhidos com base em questionários.

Neste teste, os homens e mulheres descreveram a quantidade e qualidade do sono, se tinham insónias e se sentiam cansaço ao longo do dia. A informação foi depois cruzada com dados sobre os dias de folga e dias fora por doença.

“Os participantes que dormiram mais ou menos do que a média perfeita de horas de sono por noite, faltaram mais”, revelam os investigadores ao jornal The Wall Street Journal. Quem não dorme a “quantidade ideal” passa mais tempo doente: entre um a oito dias por ano.

O mesmo estudo conclui que dormir embriagado ou com pequenas quantidades de álcool no sangue, assim como ter insónias ou sofrer de sonambulismo também são fatores decisivos na qualidade e quantidade de horas do sono.

De acordo com Shawn Youngstedt, professor da Universidade de Phoenix, nos Estados Unidos, “as taxas de mortalidade e de morbidade são mais baixas com uma noite de sono de sete horas”. Pronto, sete é o número mágico.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários