Projeto de ‘112’ transfronteiriço Norte/Galiza a funcionar em pleno em junho

O ARIEM ‘112' está a ser desenvolvido há mais de um ano entre três regiões com 572 mil pessoas
14 de maio de 2014 - 13h11



O projeto de Assistência Recíproca Inter-regional em matéria de Emergências (ARIEM-112) estará em funcionamento pleno em junho deste ano, anunciou hoje à Lusa o Comandante do Agrupamento Norte da Proteção Civil.



"O ‘112' já está ativo. Já tivemos o ano passado uma intervenção na zona de Salvaterra do Minho, em Monção mas entra em pleno funcionamento em junho", afirmou o Tenente-Coronel Paulo Esteves.



O responsável da proteção civil no Norte falava durante a realização, hoje de manhã, de um simulacro de naufrágio no rio Minho que envolveu mais de 150 homens de 30 entidades de Portugal e Espanha.



O ARIEM ‘112' está a ser desenvolvido há mais de um ano entre três regiões, Norte de Portugal, Galiza e Castela Leão, território com uma população de quase 572 mil pessoas.



O Pacto de Ajuda Mútua (PAM) que formalizou a cooperação entre as três regiões foi assinado, em outubro de 2013, no Porto, na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), entidade portuguesa que coordena o projeto que envolve 109 municípios.



O ‘112' transfronteiriço dispõe de uma plataforma informática, através da qual são feitos os pedidos de ajuda internacional e acionados os meios inseridos nessa plataforma, explicou o Comandante da Proteção Civil do Norte.



O serviço está ainda dotado de um sistema de videoconferência que permite interligar os parceiros das três regiões.



"Um dos problemas elencados e já com proposta de solução é ter um sistema de comunicações baseado no sistema TETRA, de maneira a haver interligação nos meios de comunicação portugueses e espanhóis", adiantou o responsável.



Para suprir essa "dificuldade", explicou, o que está previsto no PAM é que, quando é instalado um posto comando, será sempre único, português ou espanhol, e são acionados os oficiais de ligação das entidades envolvidas, que fazem a comunicação com os meios respetivos.



De acordo com a CCDR-N, o ‘112' transfronteiriço "destina-se a facilitar os acessos aos serviços públicos de emergência das três regiões envolvidas, 24 horas por dia, eliminando barreiras territoriais, numa extensão de 16.637 quilómetros quadrados".



O simulacro de um naufrágio de uma embarcação de recreio no rio internacional, o terceiro realizado pelo projeto, testou, hoje, nos dois lados do rio Minho, a "capacidade de articulação dos meios de socorro e salvamento".



As operações visavam o resgate de cerca de 11 vítimas, entre feridos, mortos e desaparecidos. Do lado português as operações envolveram a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o INEM, diversas corporações locais de bombeiros e equipas da PSP e da GNR Do lado galego participam forças e especialidades idênticas, mais um helicóptero da Junta da Galiza.



O ARIEM representou um investimento de 400 mil euros, cofinanciado em 75% pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP).



Do lado espanhol, a Junta da Galiza vai ainda investir até final do primeiro semestre de 2015 cerca de 600 mil euros, também com 75% de financiamento comunitário.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários