Portugal poderá enviar alguns médicos para a Arábia Saudita

Arábia Saudita irá solicitar dois terços dos recursos em outras partes do mundo
8 de abril de 2013 - 09h50



Os médicos portugueses são reconhecidos pela sua qualidade e está em perspetiva um acordo para o intercâmbio de médicos portugueses com médicos da Arábia Saudita, disse no domingo em Riade o ministro da Saúde português, Paulo Macedo.



"O que foi acordado com o ministério da Saúde saudita é que gostaríamos de trocar formação. Termos médicos sauditas em Portugal e médicos portugueses terem a possibilidade de virem trabalhar nestes hospitais, que são tecnologicamente e clinicamente diferenciados. Aí há um caminho a percorrer", referiu o ministro da Saúde após uma visita à King Fahad Medical City, uma "cidade médica" instalada na capital do país do Médio Oriente.



Após sublinhar o "interessante conceito de apresentação" deste complexo - uma cidade médica integrada onde convivem diversas especialidades clínicas, com um investimento muito significativo, Paulo Macedo recordou o projeto de construção "de outras cinco cidades médicas como esta, fora de Riade".



O investimento em perspetiva, e a falta de recurso pode significar uma oportunidade para o reforço da cooperação bilateral entre os dois países na área da Saúde.



"Hoje [no domingo] foi-nos dito neste hospital que face ao investimento que vai haver nas infraestruturas, a Arábia Saudita, apesar de estar a investir muito em recursos humanos e em termos de formação superior, conseguirá fazer face a um quinto das suas necessidades. Irá solicitar recursos e procurar mais de dois terços dos recursos em outras partes do mundo", revelou.



"E manifestaram apreço pela qualidade dos nossos profissionais".



Paulo Macedo concluiu no domingo uma visita de dois dias ao reino saudita, acompanhado por uma delegação da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), com representantes de 53 empresas.



SAPO Saúde com Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários