Pólenes podem provocar conjuntivite alérgica, alerta especialista

Alergias são a sexta doença mais frequente no mundo
18 de março de 2014 - 15h05



A alergia a pólenes é uma das causas mais frequentes de manifestações alérgicas. Com a chegada da Primavera, no próximo dia 21, aumentam os pólenes no ar e, por isso, também as manifestações de alergia. A conjuntivite alérgica é uma das mais frequentes nesta época do ano.



“Olhos vermelhos, comichão, lacrimejo, inchaço e dor ou desconforto locais (sensação de corpo estranho no olho) são os principais sintomas da conjuntivite ocular. Os sintomas podem ser ligeiros e sazonais mas podem também tornar-se intensos e persistirem ao longo do ano”, alerta Mário Morais de Almeida, Coordenador do Centro de Alergia do Hospital CUF Descobertas.




E acrescenta: “Se os sintomas perturbarem o dia-a-dia, alterarem a qualidade do sono ou a actividade normal, deve procurar ajuda de um médico especialista. A conjuntivite alérgica constitui uma patologia ocular frequente e com potencial impacto na qualidade de vida do doente”.




Na primavera, a principal causa de alergia aos pólenes são as gramíneas, conhecidas também por fenos e que estão profusamente distribuídas em todo o território nacional, nas áreas rurais e urbanas. A sua polinização ocorre, habitualmente, nos meses de março a julho.




A alergia é uma resposta exagerada do sistema de defesas do corpo humano a uma substância presente no ambiente, que por si só não seria uma agressão para o organismo. As alergias são a sexta doença mais frequente no mundo e estima-se que afectem mais de 10 por cento da população mundial e quase um terço dos portugueses.


SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários