Pílula contracetiva continua a colocar em risco a vida das mulheres, diz estudo

Um novo estudo americano revela que as mulheres que tomam a pílula correm sérios riscos de desenvolver coágulos sanguíneos. Só nos Estados Unidos, quatro em cada cinco mulheres já tomou a pílula contracetiva.

Um estudo publicado pela revista médica online BMJ revelou que as mulheres que tomam a pílula tem três vezes mais probabilidades de desenvolver coágulos sanguíneos do que as que não usam qualquer método contracetivo oral.

Um resultado assustador tendo em conta que este é um dos métodos contracetivos mais prescritos pelos médicos nos Estados Unidos. Para além dos coágulos, os enfartes, embolias e ataques cardíacos são outros dos riscos associados à administração da pílula. Drospirenona, desogestrel e gestodeno são algumas das hormonas presentes nas pílulas.

“Quanto mais tempo as mulheres tomarem a pílula, mais tempo ficam expostas a estes riscos apesar de não serem cumulativos”, afirma Barbara Levy, que trabalha para o American College of Obstetricians and Gynecology. Segundo a especialista, as complicações relacionadas com coágulos sanguíneos também são muitos frequentes durante a gravidez.

Apesar dos riscos associados a este método contracetivo, é necessário manter a calma e analisar cada caso com cuidado e sempre com o acompanhamento médico adequado.

Comentários