Percentagem de portuguesas fumadoras quase duplicou em cinco anos

Tabaco e a pílula juntos são grandes factores de risco para AVC
6 de fevereiro de 2014 - 11h32



Uma investigadora do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) considera "preocupantes" dados sobre o aumento do consumo de tabaco pelas mulheres e alerta para o perigo cardiovascular com base no estudo "E-Cor" que será apresentado sexta-feira, no Porto.



"Se tivermos em conta que, em 2008, os estudos da Direção-Geral de Saúde [DGS] apontavam que havia 9,5% de mulheres fumadoras, agora estamos a falar de uma percentagem de 17%. O consumo de tabaco tem dados assustadores", disse à agência Lusa a coordenadora do estudo "E-Cor", desenvolvido pelo INSP, Mafalda Bourbon.



Estes dados fazem parte de um estudo que será apresentado sexta-feira no 8.º Congresso do Acidente Vascular Cerebral (AVC) organizado pela Sociedade Portuguesa do AVC.



Para já - ainda que o "E-Cor" se vá estender ao Algarve e Alentejo - o estudo de Mafalda Bourbon tem por base as regiões do Norte, Centro e Lisboa, de acordo com o mapa NUTS II de Portugal Continental.



O estudo prevê a análise de uma amostra nacional de 1.700 pessoas, 340 por região, mas, para já, das 1.040 pessoas cujos dados já são conhecidos, 22% são fumadores.



O "E-Cor" revela que as mulheres no Centro fumam menos do que em qualquer uma das outras regiões: 12% no Centro, 20% em Lisboa e 18% no Norte.



"Os dados do tabaco são preocupantes porque, por exemplo, o fumar associado ao consumo da pilula, é explosivo e aumenta muito o risco de ter um AVC em idade jovem (…). E um AVC é muito debilitante", referiu.



Outro dado "alarmante" para Mafalda Bourbon é a prevalência de excesso de peso/obesidade.



"No geral 65% da população tem excesso de peso ou obesidade, o que quer dizer que das cerca de 1.000 pessoas inquiridas, 650 pessoas têm excesso de peso ou obesidade", descreveu a especialista.



Com este estudo, Mafalda Bourbon pretende fazer um diagnóstico geral do país em relação aos fatores de risco vasculares, mas também lançar alertas.

Comentários