Paróquia abre farmácia social na Lourinhã

Iniciativa visa não deixar carenciados sem medicamentos

A Paróquia da Lourinhã anunciou hoje a abertura de uma farmácia social para apoiar pessoas carenciadas que, por dificuldades económicas, não têm condições de comprar os medicamentos de que necessitam.

"Tivemos conhecimento de que há pessoas que perguntam nas farmácias o preço dos medicamentos e que, por falta de meios económicos, acabaram por não levantar as receitas, daí surgir este projeto destinado a pessoas carenciadas", explicou à agência Lusa Teresa Braga, voluntária e uma das responsáveis do projeto.

A farmácia social, que começou a funcionar em novembro, chega a mais de uma dezena de pessoas.

"Tem aparecido cada vez mais pessoas a pedir medicamentos e outras a contribuir com sobras", afirmou a responsável, adiantando que a farmácia dispõe de cerca de cinco centenas de medicamentos.

Após os pedidos dos interessados, é feita uma avaliação socioeconómica dos respetivos agregados familiares junto da Segurança Social, do centro de saúde local ou do centro paroquial.

Os produtos farmacêuticos excedentários podem ser entregues nas farmácias da vila da Lourinhã ou no Convento de Santo António e são depois distribuídos de forma gratuita por quem precisa, mediante apresentação da prescrição médica.

A farmácia social, que surge da ideia de um grupo de voluntários, entre eles funcionários das farmácias, funciona às terças-feiras no Convento de Santo António entre as 14:00 e as 16:00.



09 de janeiro de 2012

@Lusa



Comentários