Ortopedistas lançam campanha para prevenir quedas na população idosa

“Não caia nisso” é o tema de uma campanha de sensibilização que a Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT) lança na quarta-feira para prevenir as quedas na população idosa.
créditos: NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

“O principal objetivo desta campanha é informar, particularmente os seniores, mas também a população em geral sobre o risco de queda e as complicações daí inerentes”, nomeadamente as fraturas, disse hoje à agência Lusa o responsável pela iniciativa, Carlos Evangelista.

As estimativas apontam que 30% dos idosos já caíram alguma vez e que cinco a 10% dessas quedas ocasionaram lesões graves com risco de morte, adiantou o ortopedista.

“As fraturas, particularmente nas pessoas de mais idade, são situações que trazem muita carência, muita dependência a essas pessoas e por isso nós tentamos com esta campanha alertar para pequenos problemas do dia-a-dia”, explicou.

Tendo em conta que “a grande maioria das quedas acontece dentro de casa”, a campanha dá alguns conselhos para as prevenir, como evitar locais pouco iluminados, pavimentos molhados, retirar tapetes que possam provocar derrapagens e consequentes quedas, evitar medicação que perturbe o equilíbrio e em caso de insuficiência, melhorar a audição e a visão.

O ortopedista advertiu que “as pessoas com alguma idade que vivem sozinhas, e não só, têm que ter alguns cuidados em casa e atenção a alguns pormenores que vão evitar a queda”, como não ter objetos no chão, ter uma luz de presença no quarto para quando se levanta durante a noite, andar com o telemóvel ao peito ou tomar banho sentada.

Além dos problemas médicos, “as quedas apresentam custos sociais, económicos e psicológicos enormes, aumentando a dependência e a institucionalização”.

Um dos objetivos da campanha é também diminuir os custos no tratamento destas fraturas que, segundo dados da Direção-Geral da Saúde, estimaram-se, em 2006, em 52 milhões de euros, só em cuidados hospitalares.

Comentários