Ordem dos Médicos vai abrir um inquérito à prescrição excessiva de antibióticos

Consumo exagerado já levou bactérias a criarem resistência aos antibióticos
12 de maio de 2014 - 11h20



A Ordem dos Médicos vai abrir um inquérito ao caso dos clínicos que receitaram antibióticos sem serem necessários. Segundo uma experiência da Associação de Defesa do Consumidor (DECO), em 50 consultas médicas, 20 clínicos prescreveram estes fármacos sem necessidade.




A Associação de Defesa do Consumidor quis também saber se as farmácias vendem estes medicamentos sem receita médica. Em 70 estabelecimentos, só uma vendeu.




Também o Ministério da Saúde já anunciou que vai analisar o estudo da DECO.




Intervenção disciplinar




O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, afirmou que vai ser aberto um inquérito ao caso da prescrição desnecessária de antibióticos para "intervir pedagógica e, eventualmente, disciplinarmente".



A abertura de um inquérito visa "entender a razão de uma tão elevada prescrição de antibióticos de forma aparentemente injustificada", disse o bastonário, acrescentando que a Ordem "não pode ignorar" o que aconteceu.



O bastonário alertou que o exagero de prescrição destes fármacos em parte também está na origem dos insistências do doente, que muitas vezes pressionam o médico.



"Tudo isto faz parte de um processo de evolução, diria científico e cultural, para que se evite a prescrição exagerada de antibióticos, que é profundamente prejudicial para a saúde humana", salientou.



O médico lembrou ainda que a sociedade deve começar a ter consciência do consumo exagerado destes medicamentos, já que estes fármacos vão progressivamente deixando de fazer efeito por causa das resistências que as bactérias vão adquirindo.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários