ONU alerta que cerca de 765.000 crianças sírias precisam de vacina contra poliomielite

Doença é ainda considerada endémica no Afeganistão, Nigéria e Paquistão
23 de julho de 2014 - 10h10



A ONU pediu esta terça-feira que se facilite o acesso humanitário a 765.000 crianças sírias com menos de cinco anos que devem ser vacinadas contra a poliomielite em regiões de difícil acesso, neste país destroçado por uma guerra que dura há mais de três anos.



"Na Síria, 765.000 crianças de menos de cinco anos vivem em zonas de difícil acesso" por causa do conflito armado, o que significa que é "extremadamente difícil enviar-lhes ajuda humanitária, em particular um acesso regular a vacinas", denuncia o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), num relatório conjunto.



A poliomielite é uma doença altamente contagiosa, que afeta sobretudo crianças com menos de cinco anos. Pode provocar paralisia cerebral em poucas horas e ser fatal.



O número de casos de poliomielite no mundo diminuiu mais de 99% desde 1988, quando foram detetados 350.000 casos, para 406 casos notificados em 2013.



Em 2014, restavam apenas três países onde a doença é ainda endémica - Afeganistão, Nigéria e Paquistão -, segundo informações da ONU divulgadas em abril.



Porém, na Síria, muito recentemente, surgiram uma série de novos casos.



Por SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários