OMS reúne especialistas para discutir nova vacina contra o Ébola

Na Libéria, o país mais atingido pelo surto de Ébola, já morreram 576 pessoas
22 de agosto de 2014 - 15h55



A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou hoje que vai realizar em setembro, em Genebra, uma consulta sobre uma potencial vacina contra o Ébola, já testada com “resultados promissores” em dois profissionais da saúde na Libéria.



Em nota divulgada na sua página da Internet, a agência da ONU assinala que “nos dias 04 e 05 de setembro, a OMS realizará uma consulta sobre terapias e potenciais vacinas do Ébola em Genebra”, na Suíça, onde se localiza a sede da organização.



“A consulta foi convocada para reunir conhecimentos sobre as terapias e vacinas experimentais mais promissoras e o seu papel na contenção do surto do Ébola na África Ocidental", refere o comunicado.



Várias vacinas contra o Ébola estão a ser testadas, incluindo um tratamento promissor, o ZMapp, que, segundo a OMS, já está esgotado.



Recentemente, o medicamento foi testado em norte-americanos infetados em África, após ter obtido bons resultados em macacos.



Segundo a organização, mais de 20 especialistas da África Ocidental são esperados na reunião, em que devem participar cerca de 100 peritos de saúde mundiais, que pretende discutir as mais recentes pesquisas sobre o Ébola, bem como questões éticas, legais e regulamentares.



O encontro pretende igualmente discutir os desafios dos países afetados pela epidemia e encontrar consensos sobre as novas formas de luta contra a doença que já matou mais de 1200 pessoas na África Ocidental.



De acordo com a nota da OMS, as autoridades de saúde da Libéria garantiram que dois médicos e um enfermeiro estão atualmente a receber tratamento de uma vacina experimental contra a febre hemorrágica.



"O enfermeiro e um dos médicos estão a registar progressos. O quadro clínico do segundo médico é seria mas registou ligeira melhoria", refere a agência das Nações Unidas.



Há dias, o diretor do Departamento de Vacinas e Imunização da OMS, Jean-Marie Okwo Bele, afirmou que uma vacina preventiva contra o Ébola deverá passar à fase de testes clínicos em setembro e poderá estar disponível em 2015.



A epidemia de Ébola já fez 1.350 mortos, desde o início do ano, na Guiné-Conacri - onde começou o surto -, na Libéria, em Serra Leoa e na Nigéria.



Dois novos casos na Nigéria, todas as regiões da Libéria afetadas



A Nigéria registou mais dois casos de Ébola, elevando para 14 o total de casos confirmados de infeção com o vírus, que já provocou cinco mortes no país, divulgou hoje o governo nigeriano.



Na Libéria, o país mais atingido pelo surto de Ébola, com 576 mortos, o secretário-geral do sindicato dos serviços de saúde, George Williams, anunciou que todas as regiões do país já foram afetadas pela epidemia do Ébola, após a confirmação de casos no sudeste do país, perto da fronteira com a Costa do Marfim.



“A Nigéria registou os primeiros dois casos de Ébola em contactos secundários em relação ao primeiro paciente”, disse o ministro da Saúde nigeriano, Onyebuchi Chukwu, numa conferência de imprensa em Abuja.



Por SAPO Saúde com Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários