Nutricionistas aplaudem proposta da UE para introdução conjunta de leite e fruta nas escolas

Estados-Membros participarão no programa a título voluntário
30 de janeiro de 2014 - 15h33



A bastonária da Ordem dos Nutricionistas aplaudiu hoje a proposta da Comissão Europeia de distribuir leite e fruta em conjunto, nas escolas, considerando que esta medida criará hábitos de consumo de fruta nas crianças, que é “claramente insuficiente”.



“Só posso dar os parabéns a esta iniciativa”, comentou à agência Lusa Alexandra Bento, lembrando que “o consumo de fruta é claramente insuficiente face às necessidades das crianças”.



A Comissão Europeia propôs hoje, em Bruxelas, a fusão dos dois programas de distribuição alimentar nas escolas, passando a ser distribuídos leite e fruta em conjunto, com o objetivo de promover o consumo destes produtos.



O novo programa, uma vez aprovado, terá uma dotação, por ano letivo, de 230 milhões de euros (150 milhões de euros para a fruta e as verduras e 80 milhões para o leite).



Para Alexandra Bento, “medidas desta natureza terão certamente impacto no presente”, porque as frutas, os legumes e o leite são consumidos e, “no futuro, porque são hábitos que se adquirem”.



“E a escola é o local privilegiado para a criação destas medidas, porque todas as crianças reportarão os ensinamentos que a escola lhes proporciona”, adiantou.



A bastonária dos nutricionistas observou ainda que “fornecer este tipo de alimentos poderá ser importantíssimo para quem vive momentos de escassez”.



“Podemos fazer a leitura do que se passou com a introdução do leite nas escolas na década de 60, que teve um impacto importantíssimo” na saúde das crianças.



Na altura, havia um consumo que ficava aquém daquilo que era desejável e nem havia apreço pelo leite, porque não existia esse hábito, explicou.

Comentários