Novo micro dispositivo de monitorização cardíaca implantado em doente na Madeira

Um doente do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, recebeu esta semana o primeiro micro dispositivo para monitorização cardíaca implantado na Madeira, marcando o início de um novo ciclo no diagnóstico cardíaco no serviço público de saúde da região.
créditos: SAPO

O novo dispositivo de monitorização de arritmias cardíacas é 80% menor que os até agora disponíveis, sendo que a operação não implica o internamento. O implante foi realizado pelos cardiologistas Nuno Santos e Graça Caires num doente com desmaios de repetição de causa desconhecida.

"É um procedimento bastante simples e o doente tem alta imediatamente", disse à agência Lusa Nuno Santos, realçando que o novo dispositivo vai ao encontro das recomendações da União Europeia em matéria de diagnóstico cardíaco.

Apesar de ser significativamente pequeno, o micro dispositivo permite uma monitorização contínua durante três anos, dispondo de um sistema de controlo que permite uma avaliação à distância e possibilita o envio de notificações perante a presença de determinadas arritmias cardíacas.

Nuno Santos estima que o aparelho, que custa cerca de 2.600 euros, seja implantado em dez a 15 doentes por ano na Madeira.

O dispositivo está indicado para determinados doentes com desmaios, palpitações mantidas, cuja investigação clínica e laboratorial não é conclusiva, bem como em doentes com um risco acrescido de arritmias cardíacas.

Em comunicado, o diretor do Serviço de Cardiologia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, Décio Pereira, considerou que o implante do novo dispositivo marca uma nova era no diagnóstico cardíaco na região da Madeira.

"A partir de agora, vai ser possível monitorizar o ritmo cardíaco destes doentes à distância através de um sistema wireless que faz uma avaliação do aparelho, enviando notificações sempre que é detetada uma arritmia cardíaca", salientou.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários