Níveis muito elevados de pólenes no continente de 09 a 15 de maio

Nas regiões de Trás-os-Montes e Alto Douro, os pólenes estarão em patamares muito elevados
8 de maio de 2014 - 16h22



Os níveis de pólenes vão estar, de 09 a 15 de maio, muito elevados nas regiões de Trás-Os-Montes, Douro Litoral, Beiras, Estremadura, Alentejo e Algarve, alertou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).



Contrariando a tendência no continente, as concentrações de pólenes vão ser baixas a moderadas nos Açores e moderadas a elevadas na Madeira, de acordo com as previsões do boletim polínico semanal da SPAIC.



Nas regiões de Trás-os-Montes e Alto Douro, os pólenes estarão em patamares muito elevados, em especial os das árvores - pinheiros e carvalhos -, e os das ervas azedas, gramíneas, parietária e urtigas.



No Porto e no Douro Litoral, assim como na Beira Litoral e na Região Centro, os pólenes em níveis muito elevados concentram-se nos carvalhos, pinheiros, oliveiras, urtigas, gramíneas e parietária.



Igualmente em valores muito elevados vão estar, na Beira Interior, os pólenes provenientes dos carvalhos, oliveiras, gramíneas, azedas, urtigas e tanchagem.



O mesmo boletim assinala que os pólenes estarão em níveis muitos elevados na Estremadura e em Lisboa, em particular os de oliveiras, sobreiros, gramíneas, urtigas, parietária, tanchagem e quenopódio.



No Alentejo, a SPAIC destaca os pólenes dos sobreiros, oliveiras, azinheiras, pinheiros, gramíneas, tanchagem, urtigas e azedas.



As concentrações muito elevadas no Algarve referem-se a pólenes dos sobreiros, oliveiras, gramíneas, tanchagem, quenopódio, urtigas e azedas.



Os pólenes vão estar em níveis baixos a moderados nos Açores e Ponta Delgada, com predomínio os de urtigas, pinheiros, gramíneas e parietárias.



No Funchal e na Madeira, os pólenes encontram-se em valores moderados a elevados, sobretudo os de urtigas, gramíneas, azedas e parietária, segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários