Não adiar ida ao médico é decisivo nos problemas de coluna

O médico ortopedista Luís Teixeira, especialista na área da coluna, alerta que os portugueses desvalorizam as dores de costas e isso pode ser um fator de agravamento da sua condição clínica.
créditos: PixaBay

Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Coluna (16 de outubro), o médico ortopedista Luís Teixeira recorda que as pessoas são negligentes em relação à sua coluna e que se automedicam em demasia, sem se permitirem descobrir qual o verdadeiro motivo das dores que sentem.

Pelo menos 8 em cada 10 pessoas sofrem, ou irão sofrer, de dores da coluna nalgum período da sua vida, o que ocorre porque, segundo o médico especialista, “poucos são os que têm consciência corporal para manter diariamente uma postura correta. É muito comum ouvirmos as pessoas falarem de dores nas costas que podem surgir de inúmeros fatores como de noites dormidas numa posição errada, vícios posturais, saltos demasiado altos, excesso de peso na mala…Mas, geralmente, são dores pontuais e que acabam por passar. No entanto, as intensas e repetitivas merecem a atenção de um especialista”, explica Luís Teixeira.

Que tipos de dores existem?

“É muito comum falar em dores nas costas mas devemos sistematizar para podermos compreender melhor as causas e os diferentes tipos de dor: lombar (localizada acima do quadril; dorsal (parte central das costas) e cervical (entre a cabeça e o tronco)”, diz o também Presidente da Associação Spine Matters – Proteja a Sua Coluna, uma associação sem fins lucrativos que visa sensibilizar para a importância do cuidado com a coluna a tempo inteiro de uma forma transversal, desde as fraturas osteoporóticas da 3ª idade, peso das mochilas na juventude ou à postura no local de trabalho.

Ver artigo completo

Comentários