Metade dos diagnósticos de tumores neuroendócrinos chega tarde demais

10 de novembro é o Dia Mundial de Sensibilização para Tumores Neuroendócrinos

9 de novembro de 2013 - 06h55

Mais de 50 por cento dos doentes com tumores neuroendócrinos (TNE) em Portugal são diagnosticados tardiamente.

O alerta é feito pelo Grupo de Estudo de Tumores Neuroendócrinos (GE-TNE) da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo (SPEDM) e surge no âmbito do Dia Mundial de Sensibilização para esta doença, que se assinala no próximo domingo, dia 10 de novembro.

Apesar de ser o segundo tipo de tumor maligno gastrointestinal mais comum, depois do cancro do cólon, o seu diagnóstico é difícil, uma vez que os Tumores Neuroendócrinos são geralmente cancros de crescimento lento, difíceis de detetar, e cujos sintomas podem ser confundidos com outro tipo de patologia.

Por este motivo, o Grupo de Estudo de Tumores Neuroendócrinos alinha-se com a comunidade internacional e com a campanha mundial “NET Cancer Day”, no sentido de sensibilizar a população e os profissionais de saúde para este tipo de tumores e para a relevância do diagnóstico precoce.

Sintomas silenciosos


A campanha, alojada no site http://netcancerday.org/, com o mote “Pense Zebra – Se não suspeitar, não vai detetar”, tem vindo a juntar assinaturas de pessoas de todo o mundo, que se comprometem a contribuir para a consciencialização sobre este tipo de tumores.

Os TNE podem ocorrer em diferentes partes do corpo humano, sendo mais frequentemente encontrados no trato gastrointestinal e pâncreas.

Os sintomas são vagos e podem confundir-se com problemas comuns como a síndrome do cólon irritável, perturbações psiquiátricas, sintomas vasomotores (semelhantes aos afrontamentos) ou manifestar-se através de outras doenças, como por exemplo, o aparecimento súbito de uma diabetes ligeira a moderada.

SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários