Infarmed impede transferência de farmácia entre localidades em Abrantes

O Infarmed indeferiu o pedido de transferência de uma farmácia de Bemposta para Alferrarede, freguesias rural e urbana, respetivamente, ambas no concelho de Abrantes, uma decisão entendida pelo presidente da junta de Bemposta como "uma vitória para a população".

Insatisfeita com a possibilidade de perder a única farmácia da aldeia, com cerca de dois mil habitantes, a população da freguesia de Bemposta havia promovido em fevereiro uma petição "contra a mudança", em forma de abaixo-assinado e que recolheu mais de 600 assinaturas, para tentar impedir a transferência da farmácia para a freguesia urbana de Alferrarede, tendo a Assembleia de Freguesia manifestado igualmente a sua oposição à pretensão dos proprietários do estabelecimento.

A gerência do estabelecimento alegava prejuízos financeiros pelo fraco movimento diário, que correlacionava com um número reduzido de habitantes naquela freguesia rural.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Bemposta, Manuel Alves (PS), disse hoje que o indeferimento do Infarmed à pretensão de transferência foi "uma vitória para a população", tendo observado que a localidade estava "na iminência de perder a única farmácia que serve Bemposta, mas também São Facundo e Vale das Mós", possibilidade que "não iria ao encontro das especificidades da freguesia e das necessidades dos habitantes", alegou.

"A próxima farmácia fica a cerca de 12 quilómetros de distância, em Rossio ao Sul do Tejo, e a Bemposta é uma das maiores freguesias do país, em área, com uma população bastante envelhecida e com dificuldade de movimentação", advogou.

Manuel Alves disse ainda à Lusa "entender as preocupações de viabilidade económica" dos proprietários da farmácia, defendendo um processo de "discriminação positiva" para situações similares nas farmácias da província.

"O Infarmed analisou o processo e informou a Junta de Freguesia da Bemposta da decisão de indeferimento com o fundamento do não cumprimento dos critérios definidos pela lei vigente, uma decisão que saudamos, uma vez que a mesma salvaguarda o interesse das populações, nomeadamente estas de cariz rural", aplaudiu.

A agência Lusa contactou a gerência da Farmácia Torres que afirmou "discordar" da decisão do Infarmed.

Edgar Gaspar disse à Lusa que vai recorrer da decisão do Infarmed.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários