INEM em protesto por "falta de diálogo"

O Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência, que representa cerca de 85% dos funcionários do INEM, realiza esta quarta-feira uma manifestação em Lisboa contra a “falta de diálogo” da direção do Instituto de Emergência Médica.

Em comunicado, os sindicalistas explicaram que se trata da primeira manifestação “contra o INEM” desde a criação do Sindicato, em 2007.

“Esta ação é uma demonstração do desagrado que os técnicos do INEM sentem face à postura e tratamento dado por este Conselho Diretivo”, refere a nota.

A concentração dos profissionais está prevista para as 11:30 de hoje junto à sede do INEM, em Lisboa, seguindo a manifestação para o Ministério da Saúde.

A “falta de diálogo” e a “postura arrogante” referidas pelo Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência (STAE) estarão relacionadas com temas como a contratação de 160 profissionais e com a negociação da carreira.

Para o STAE, faltam 90 técnicos de ambulância de emergência e ainda 70 técnicos operadores de telecomunicações de emergência, uma carência de recursos humanos classificada como “grave”.

No âmbito da negociação da carreira de técnico de emergência pré-hospitalar, o sindicato pretende que a proposta do INEM, depois de negociada, seja enviada até ao final deste mês para os ministérios da Saúde e Finanças.

É ainda exigida a atribuição de um subsídio de risco a todos os técnicos, com o argumento de que estes profissionais são várias vezes vítimas de agressões, de acidentes de viação e atuam “sob enorme stress”.

A definição de novas competências dos técnicos de ambulância e a negociação do acordo coletivo de trabalho são outras das reivindicações destes profissionais.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários