Hospital de Braga garante que falta de medicação para doentes com cancro está ultrapassada

Tratou-se de uma "dificuldade pontual de fornecimento de medicação"
21 de fevereiro de 2013 - 14h19



O problema da falta de medicamentos no Hospital de Braga para tratamento de doentes com cancro "já está totalmente resolvido", afirmou hoje o adjunto da direção clínica.



Segundo Jorge Teixeira, tratou-se de uma "dificuldade pontual de fornecimento de medicação", que afetou uma dezena de doentes.



"Foi um acontecimento menos bom, mas o fornecimento de medicamentos está hoje completamente normalizado", reiterou.



Garantiu que todos os doentes já começaram a ser contactados para realizarem os tratamentos, tendo mesmo alguns deles já recomeçado a receber a medicação.



Jorge Teixeira disse ainda que já foi feita uma análise para perceber por que é que esta situação aconteceu e que já foram tomadas "as medidas necessárias" para impedir que a mesma se repita.



O Bloco de Esquerda (BE) fez saber hoje que vai questionar o Ministério da Saúde sobre a falta de medicamentos no Hospital de Braga para tratar os doentes com cancro, uma situação que aquela força partidária classifica de “gravíssima e inadmissível”.



“É uma situação gravíssima e inadmissível, que queremos ver rapidamente esclarecida e, sobretudo, resolvida, a bem dos doentes”, disse à Lusa Pedro Soares, dirigente BE de Braga.



Acrescentou que a falta de medicamentos no Hospital de Braga está “a adquirir demasiada normalidade”, sublinhando “serem recorrentes” as queixas dos utentes.



“É o resultado de uma gestão que privilegia os resultados económicos em detrimento dos cuidados de saúde”, criticou.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários