GAES entrega aparelhos auditivos em lares do Porto

Projeto Incluir começou em março de 2012
13 de maio de 2014 - 15h37



A GAES-Centros Auditivos em parceria com a Câmara Municipal do Porto, e com a presença do presidente desta, Rui Moreira, entregou recentemente no Centro Social do Cerco - Infância, da Obra Diocesana de Promoção Social, 30 vales que vão permitir que 30 idosos sejam adaptados com aparelhos auditivos, sem qualquer custo. Esta ação insere-se no âmbito do Projeto INCLUIR.



O Projeto INCLUIR, destinado à população sénior do Concelho do Porto, tem como finalidade proporcionar a participação gratuita num programa de avaliação auditiva, e quando necessário e justificado, promover a respetiva reabilitação auditiva.



“Desde o início da sua fundação que a filosofia da GAES assenta num forte compromisso com a sociedade, impulsionando e apoiando iniciativas relacionadas com a saúde auditiva, que promovem a prevenção” refere Dulce Martins Paiva, Diretora-Geral da GAES – Centros Auditivos em Portugal.



“Temos presente que a perda auditiva é um problema que leva ao isolamento social das pessoas, se a não for solucionada a tempo, e à sua insegurança nas mais diversas situações. Por este facto, temos apoiado, em parceria com diferentes organizações, diversos projetos sociais, nacionais e internacionais, com o objetivo de conseguir que as pessoas com problemas auditivos, com menores recursos económicos, possam também ter acesso a um tratamento e desenvolverem a sua vida com qualidade”, frisa Dulce Martins Paiva.



O Projeto Incluir foi iniciado em março de 2012, com a realização de rastreios a mais de 900 idosos, e entre 25 de fevereiro e 30 de abril, foi efetuada a avaliação auditiva a cerca de 1.500 alunos do 1.º e 2º ano do 1.º Ciclo do Ensino Básico das escolas públicas do concelho do Porto.



Foi detetada a necessidade de realizar exames completos a cerca de 3% das crianças rastreadas, para efetuar um diagnóstico preciso do seu estado de audição e confirmar a necessidade de uso de próteses auditivas.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários