Fraudes na saúde custaram 25 milhões ao Estado

34 pessoas foram detidas e 252 constituídas arguidos
2 de abril de 2013 - 12h25



A cooperação entre os ministérios da Saúde e da Justiça permitiu no último ano a detenção de 34 pessoas por suspeita de envolvimento em fraudes na saúde, que custaram ao Estado 25 milhões de euros, foi hoje divulgado.



De acordo com José Almeida Rodrigues, diretor da Polícia Judiciária (PJ), a colaboração entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Justiça no combate à fraude na saúde resultou na detenção de 34 pessoas e na constituição de 252 arguidos.



O mesmo responsável adiantou que os custos diretos envolvidos nestas fraudes foram de 25 milhões de euros.



Os dados foram divulgados hoje durante a apresentação pública dos resultados referentes ao combate à fraude ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), uma iniciativa que já levou a "condenações em tribunal".



De acordo com o Ministério da Justiça, “no âmbito da colaboração entre o Ministério da Saúde e a Polícia Judiciária, reforçada em janeiro de 2012, com vista a um combate célere e eficaz à fraude ao SNS, foram iniciados diversos inquéritos e realizadas várias operações”.



Estas operações envolveram “um número muito significativo de meios, de que resultou a realização de inúmeras buscas e algumas detenções, com aplicação de medidas de coação graves, como a prisão preventiva, prisão domiciliária, cauções de elevado valor e concluídas investigações que deram origem a acusações por parte do Ministério Público e condenações em tribunal”.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários