Foco do surto de legionella relacionado com torres de refrigeração da Adubos de Portugal

O mais recente surto de legionella em Portugal está provavelmente relacionado com as torres de refrigeração da empresa Adubos de Portugal. Inspeção da Direção Regional do Ordenamento do Território e Ambiente avança nas próximas horas.

O ministro do Ambiente anunciou hoje uma ação inspetiva extraordinária à empresa Adubos de Portugal, em Vila Franca de Xira, para averiguar um eventual crime ambiental.

Segundo Jorge Moreira da Silva, a ação inspetiva vai decorrer "nas próximas horas" e será para averiguar “eventual crime ambiental por libertação de microrganismos para o meio ambiente”.

“Foi hoje decidido de manhã desencadear uma ação inspetiva extraordinária relativamente à empresa Adubos de Portugal. Essa ação inspetiva vai ocorrer nas próximas horas, para averiguação de eventual crime ambiental por libertação de microrganismos no meio ambiente”, afirmou o governante, em Leiria, sublinhando, contudo, não ser de “descartar definitivamente outras hipóteses”.

O ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Energia advertiu que se está “perante amostras e análises que estão ainda em cultura”, pelo que “os resultados definitivos ainda demorarão algumas horas”.

“Mas tendo em atenção as análises que foram feitas, tanto no sábado, como novamente no domingo, consideramos que um grau de probabilidade mais elevado está associado às torres de refrigeração e, no âmbito das torres de refrigeração, concretamente em relação a esta empresa”, explicou Jorge Moreira da Silva.

O governante sublinhou ainda que “o foco está controlado desde o momento em que se decidiu no terreno que as torres de refrigeração, mesmo sem análises comprovativas que apontassem para a presença de legionella”, fossem encerradas no domingo.

Questionado se a empresa tinha efetuado limpeza de equipamentos, Moreira da Silva respondeu que tem “informação suficiente neste momento”, quer sobre as análises, “quer no que diz respeito à ausência de cuidados relacionados com manutenção”, para considerar que se deve de imediato avançar” com a inspeção extraordinária à Adubos de Portugal. 

Comentários