Excesso de peso aumenta risco de perda auditiva em mulheres

Estudo revela que exercício físico está associado a um menor risco de perda de audição
8 de setembro de 2014 - 11h11



Um estudo, desenvolvido pelo Brigham And Women’s Hospital e publicado no The American Journal of Medicine, conclui que as mulheres com maior índice de massa corporal (IMC) e perímetro abdominal têm um maior risco de desenvolver perda auditiva do que as mulheres com IMC normal.



Baseando-se os dados de 68.421 mulheres, os investigadores concluíram que as mulheres com um IMC de 30-34 tinham um risco 17% superior de perda auditiva e que, se o IMC fosse de 40 ou superior, o risco de perda auditiva aumentava para os 25%, quando comparadas com mulheres com um IMC inferior a 25.



De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice de massa corporal normal encontra-se entre os 18,5 e os 25 e, com valores acima de 30 considera-se que o indivíduo se encontra obeso. Foi também verificado que mulheres com um perímetro abdominal superior a 88 cm têm 27% mais probabilidade de desenvolver perda auditiva que as mulheres com uma cintura menor a 71 cm e que um maior nível de atividade física nas mulheres diminuía o risco de perda auditiva.



“Segundo a OMS, cerca de 360 milhões de pessoas sofrem de perda auditiva incapacitante em todo o mundo, muitos ainda sem o correto diagnóstico e tratamento", refere Pedro Paiva, audiologista da MiniSom."Estes estudos, ao demonstrarem que a perda auditiva não se encontra apenas associada à idade, mas que existem fatores de risco aos quais devemos estar atentos e nos quais poderemos ter uma palavra a dizer, são muito importantes para a prevenção deste problema de saúde que, nas suas formas mais avançadas, se torna incapacitante a diversos níveis”, garante.



Em Portugal, segundo dados de um estudo da Faculdade de Medicina de Lisboa, cerca de cinco milhões de pessoas têm excesso de peso e 14% dos adultos é já obeso. Este cenário torna-se particularmente alarmante, pois 31% das crianças e adolescentes portugueses encontram-se já com excesso de peso.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários