Especialistas discutem evolução da biomecânica do corpo humano

Reunião internacional tem início hoje nos Açores

A biomecânica do movimento humano é o tema da reunião internacional que hoje começou nos Açores, onde estão em análise modelos de engenharia usados na criação de próteses para melhorar a qualidade de vida de pessoas com mobilidade reduzida.

As próteses, colocadas em cirurgias às ancas ou aos ombros, são casos "estudados com modelos mecânicos", afirmou Jorge Ambrósio, do Instituto Superior Técnico, em declarações à Lusa, salientando que "os mesmos que são usados para a construção de um carro ou de um edifício são também usados para o corpo humano, com a supervisão dos médicos".

O especialista salientou que esta é uma forma de melhorar a qualidade de vida, nomeadamente através da "possibilidade de manter o movimento com os mesmos padrões que, por doença ou acidente, não se podem manter".

Jorge Ambrósio falava à margem do colóquio EUROMECH, que decorre até sexta-feira na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, com a participação de 80 engenheiros e médicos de Portugal, Alemanha, Holanda, Bélgica, Itália, França, Dinamarca, EUA, Brasil, Espanha, Rússia, Polónia, República Checa, Eslováquia.

Durante os dois dias de trabalhos, estes especialistas vão debater a biomecânica do movimento humano, analisando as novas fronteiras da aplicação clínica das técnicas que têm vindo a ser desenvolvidas na Europa.

“A biomecânica tem uma especificidade muito interessante que junta engenheiros e médicos", frisou Jorge Ambrósio, salientando, ao nível da ortopedia, a possibilidade de criar ortóteses e próteses para "aumentar a qualidade de vida dos doentes", por exemplo, com pé diabético.

Nesse sentido, frisou que "estão a ser usados modelos mecânicos típicos da engenharia mecânica ou civil para modelar e descrever como é que os seres humanos caminham e correm”, afirmou o especialista.

Jorge Ambrósio destacou ainda o caso de cirurgias à anca ou ao ombro, em que há substituição dos tecidos naturais por tecidos artificiais, salientando que estas operações implicam, não só remoção de uma parte dos ossos, que são substituídos pelas próteses, mas também a recolocação dos músculos em localizações que não são exatamente as naturais.

Nesta área, frisou que existe um número crescente de cursos de engenharia biomédica, que são ministrados por engenheiros e médicos.

As iniciativas EUROMECH são promovidas pela Sociedade Europeia de Mecânica, sendo o encontro que decorre até sexta-feira em Ponta Delgada subordinado ao tema 'Biomechanics of Human Motion. New Frontiers of Multibody Techniques for Clinical Applications'.

Este encontro é uma organização das universidades Técnica de Lisboa, dos Açores e do Minho, contando ainda com a colaboração de instituições universitárias da Holanda e da Alemanha.

09 de março de 2011

Fonte: LUSA/SAPO

Comentários