Ébola vai chegar à China, alerta cientista

Um dos cientistas que descobriu o vírus Ébola acredita que a China está sob ameaça devido ao elevado número de trabalhadores chineses em África.

"A situação geral vai piorar durante algum tempo e depois esperemos que comece a melhorar quando as pessoas estiverem isoladas", disse Peter Piot, citado pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post. O cientista esteve na região administrativa especial chinesa para um simpósio durante dois dias.

Piot, que prevê que a epidemia dure ainda entre seis a 12 meses, lembrou que "em África há muitos chineses a trabalhar".

"Isso pode representar um risco para a China em geral, e assumo que um dia [um surto de Ébola na China] vai acontecer, disse o diretor da London School of Hygiene and Tropical Medicine.

O cientista lembrou ainda que as medidas de controlo de infeções nos hospitais da China continental não estão sempre "de acordo com os padrões", colocando a saúde pública em risco.

Piot sublinhou a importância de formar pessoal capaz de identificar passageiros aéreos de risco antes de embarcarem e alertou que as medidas de segurança aplicadas no aeroporto Chek Lap Kok, em Hong Kong, são insuficientes.

"Rastreio generalizado [à chegada] não é eficaz, para ser honesto. O método mais eficaz é verificar as pessoas antes de entrarem no avião", afirmou.

No domingo, um homem chegado da Nigéria teve de ser submetido a exames médicos por receio de ser portador do vírus. Os testes acabaram, no entanto, por dar negativo.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários