Duas unidades de cuidados continuados abertas em Serpa, num investimento de 3 ME

Unidades permitiram criar cerca de 30 postos de trabalho e já estão lotadas
19 de dezembro de 2013 - 16h52



Duas unidades de cuidados continuados integrados, uma de média e outra de longa duração e com capacidade total para 30 doentes dependentes, são inauguradas na sexta-feira, em Serpa, num investimento de três milhões de euros.



As Unidades de Cuidados Continuados Integrados Senhora de Guadalupe, situadas no mesmo edifício, foram construídas e são geridas pela Santa Casa da Misericórdia de Serpa (SCMS) e estão integradas na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados.



As unidades, cada uma com capacidade para 15 utentes, prestam cuidados médicos, de enfermagem e outros a doentes dependentes, 24 horas por dia, uma em regime de internamento de média duração (30 a 90 dias) e outra de longa duração (mais de 90 dias), disse hoje à agência Lusa a provedora da SCMS, Maria Ana Pires.



A unidade de média duração serve para reabilitação e a de longa duração para manutenção de doentes dependentes, através da prestação de cuidados com vista à melhoria da autonomia e à reinserção familiar e social dos utentes, explicou.



As unidades, "um grande desafio" para a SCMS no atual contexto de crise, foram criadas "com fins mais abrangentes do que os dos cuidados continuados", disse Maria Ana Pires, referindo que a SCMS quer desenvolver nas infraestruturas "um programa assistencial na área da saúde e na área social".



Cuidados de fisioterapia, psicomotricidade, terapias ocupacional e da fala, psicologia, higiene pessoal, alimentação, apoio social e atividades de convívio e de lazer são outros serviços prestados pelas unidades, indicou.



Segundo Maria Ana Pires, as unidades, que começaram a funcionar no passado dia 21 de outubro, permitiram criar cerca de 30 postos de trabalho e já estão lotadas.



A criação das unidades implicou um investimento que "rondou os três milhões de euros", financiado em 75% pela SCMS e em 25% pelo programa Modelar, e teve o apoio da Câmara de Serpa, que cedeu o terreno e executou os arranjos exteriores.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários