Dois meses de greves a partir de hoje. Enfermeiros querem mais profissionais

Os enfermeiros dos Centros de Saúde (ACES) Lisboa Norte estão estas quinta-feira (15/03) em greve para reivindicar a admissão de mais profissionais, seguindo-se dois meses de paralisação aos fins de semana e feriados.
créditos: LUSA

A ação de protesto é organizada pelo Sindicato de Enfermeiros Portugueses (SEP) e decorrerá em frente ao centro de saúde de Sete Rios, em Lisboa, a partir das 10h30, e a organização espera uma grande adesão.

A coordenadora de Lisboa do SEP, Isabel Barbosa, explicou que a concentração e a greve de dois meses se justifica pela grave carência de enfermeiros nos centros de saúde de Lisboa Norte, que tem originado enormes problemas na qualidade do atendimento e na vida destes profissionais de saúde. "Esta carência tem trazido consequências diretas para a população, nomeadamente a suspensão de programas como a diabetes, a unidade móvel ou a consulta domiciliária a recém-nascidos", apontou.

Isabel Barbosa referiu que a falta de enfermeiros tem originado, ainda, a "redução do horário de atendimento das consultas, a dificuldade de constituir equipas de cuidados continuados integrados e também a necessidade de realizar mais trabalho complementar", aos sábados, domingos e feriados.

Dois meses de greve

A partir desta concentração, os enfermeiros do ACES Lisboa Norte vão realizar dois meses de greve aos fins de semana e feriados. No ACES Lisboa Norte existem, atualmente, 352 mil utentes inscritos para um total de 126 enfermeiros. Segundo a coordenadora de Lisboa do SEP, seriam necessários, "pelo menos, mais 90 enfermeiros".

Na terça-feira, o SEP anunciou uma greve geral nacional de 40 horas nos dias 30 e 31 de março. O sindicato exige 35 horas de trabalho semanais para todos os enfermeiros, a reposição do pagamento das horas de qualidade e o pagamento de 700 mil horas extraordinárias em dívida.

Os 15 problemas de saúde mais embaraçosos

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários