Dois fármacos contra osteoporose associados a problemas cardíacos

Em causa estão medicamentos Protelos e Osseor, que provocam risco aumentado de problemas cardíacos
18 de abril de 2013 - 11h29



A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomenda a restrição da utilização de dois medicamentos, à venda em Portugal para o tratamento da osteoporose na mulher pós-menopáusica, devido a “um risco aumentado” de problemas cardíacos.



De acordo com uma nota divulgada pela autoridade que regula o setor do medicamento (Infarmed), a restrição foi recomendada pela EMA após um “avaliação de novos dados de segurança” realizada pelo Comité de Avaliação do Risco em Farmacovigilância (PRAC) deste organismo europeu.



Em causa estão os medicamentos Protelos e Osseor (com ranelato de estrôncio), utilizados no tratamento da osteoporose na mulher pós-menopáusica para redução do risco de fraturas vertebrais e do colo do fémur.



A utilização destes fármacos foi associada a “um risco aumentado de problemas cardíacos, incluindo enfartes do miocárdio”, no decorrer de uma avaliação da relação benefício-risco de rotina.



O PRAC defendeu uma avaliação mais aprofundada da relação benefício-risco destes medicamentos, bem como algumas alterações na sua prescrição e utilização.



Estes medicamentos não devem ser prescritos a doentes com antecedentes ou doença cardíaca isquémica (como angina ou enfarte), com doença arterial periférica, doença cerebrovascular (como AVC) ou hipertensão não controlada.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários