Dia quente com níveis elevados de radiação ultravioleta e pólenes no ar

Temperaturas máximas devem chegar aos 28 graus em Beja, 26 em Lisboa e 22 no Porto
23 de maio de 2013 - 09h28



Os níveis de pólenes no ar vão estar muito elevados até à próxima quinta-feira em Portugal continental, revelou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIM), no seu Boletim Polínico semanal.



O alerta vai particularmente para os doentes com alergia aos pólenes de gramíneas, oliveira e ervas parietária e tanchagem.



“É fundamental tomar algumas medidas preventivas, tal como evitar atividades ao ar livre, em especial durante as horas de maior polinização, como acontece durante a manhã”, aconselham os especialistas citados pela SPAIM.



“Devem Viajar de carro com as janelas fechadas e os motociclistas devem usar capacete integral. Aconselha-se o uso de óculos escuros quando sair à rua”, lê-se no documento da Sociedade, hoje divulgado.



A SPAIM salienta que a medicação é a forma mais eficaz de combater os sintomas da alergia, devendo ser consultado um médico para um diagnóstico correto e prescrição do medicamento mais adequado.



A prevenção poderá também passar pelo uso de vacinas antialérgicas indicadas pelo especialista em doenças alérgicas.



Em Trás-Os-Montes e Alto Douro e região de Vila Real, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com destaque para os de carvalho, oliveira, gramíneas, pinheiro e ervas parietária e tanchagem.



No Douro Litoral e região do Porto, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes de carvalho, gramíneas, oliveira e ervas parietária e tanchagem.



Na Beira Litoral e região de Coimbra, tal como na Beira Interior e na zona de Castelo Branco, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com destaque para os pólenes de oliveira, carvalho, gramíneas e ervas parietária, azeda e tanchagem.



Na Estremadura e região de Lisboa, os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, com predomínio dos pólenes de gramíneas, oliveira, erva parietária, sobreiro, tanchagem, azeda e quenopódio.



No Alentejo e Algarve, haverá níveis muito elevados, especialmente para os pólenes de gramíneas, oliveira, sobreiro e ervas tanchagem, azeda, parietária e quenopódio.



Nos Açores, os pólenes encontram-se em níveis baixos, com predomínio dos pólenes de erva parietária, gramíneas, plátano e ervas tanchagem e azeda.



Na Madeira, os pólenes encontram-se em níveis baixos, com destaque para os pólenes de erva parietária, eucalipto, gramíneas, plátano, erva tanchagem e carvalho.



Radiação UV



Os índices de radiação ultravioleta (UV) estão hoje muito elevados em quase todo o país, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que recomenda cuidados especialmente entre o meio-dia e as 15h00.



No mapa nacional estão assinaladas a vermelho as zonas de Aveiro, Bragança, Braga, Guarda, Penhas Douradas, Vila Real, Viseu, Viana do Castelo, Porto, Castelo Branco, Santarém, Portalegre, Coimbra, Leiria, Lisboa, Beja, Évora, Faro, Sagres, Sines e Porto Santo.



Devem ser tomados cuidados, como usar óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-chirt, guarda-sol e evitar a exposição de crianças ao sol.



As temperaturas máximas devem chegar aos 28 graus em Beja e em Évora, 27 em Braga e em Castelo Branco, 26 em Lisboa e em Portalegre e 25 em Vila Real e em Coimbra.



O risco de incêndio é apenas elevado em parte do distrito de Faro, de acordo com informação disponível na página de Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários