Cuidados continuados em saúde mental avançam este ano

O secretário de Estado Adjunto da Saúde afirmou esta quinta-feira que os Cuidados Continuados Integrados em Saúde Mental vão avançar ainda durante a atual legislatura, dando resposta a uma necessidade “sistematicamente anunciada e adiada”.
créditos: AFP

A promessa foi deixada hoje durante a apresentação pública do relatório “Portugal – Saúde Mental em Números 2014”, que revela uma elevada prevalência de perturbações mentais em Portugal e alerta para a necessidade de criação de uma rede de cuidados continuados nesta área.

"Estou perfeitamente convicto de que será nesta legislatura que serão dados passos significativos com experiências duradouras na área dos cuidados continuados, e que ganhem a relevância que não puderam ter”, disse Fernando Leal da Costa.

O relatório hoje apresentado considera “inevitável e premente falar nos CCISM (Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental), sistematicamente anunciados e adiados por conhecidos constrangimentos financeiros, com muitos a interrogarem-se se a situação presente não sai mais onerosa”.

Ainda em 2014

O documento lembra que o aumento do risco de dependência não é isento de custos para o Serviço Nacional de Saúde e acrescenta que neste contexto se registam "as declarações recentes da tutela de que, ainda em 2014, vão estar no terreno as primeiras tipologias de cuidados continuados de saúde mental”.

“Prometemos que arranjaremos estruturas de cuidados continuados”, afirmou hoje Leal da Costa.

Comentários