Circuitos neurais de cada lado do cérebro controlam movimentos do corpo contrários

Próximo passo é perceber que partes do cérebro controlam cada parte do corpo
8 de julho de 2014 - 10h22



Investigadores descobriram, numa experiência com ratinhos, que dois circuitos neurais de cada um dos lados do cérebro controlam os movimentos contrários do corpo, ajudando a explicar o que sucede quando há uma doença do movimento, como a de Parkinson.



O estudo, cujos resultados são hoje publicados na revista Nature Communications, foi conduzido por uma equipa de cientistas do Programa Neurociências da Fundação Champalimaud.



"Pensava-se que o circuito direto do hemisfério direito [do cérebro] promovia movimentos do outro lado e o circuito indireto inibia esses movimentos. O que descobrimos é que ambos os circuitos de um lado do cérebro controlam o movimento do outro lado", referiu à agência Lusa o neurocientista e coordenador do estudo, Rui Costa.



Pessoas que tiveram, por exemplo, um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou que têm doenças do movimento, como a de Parkinson, não conseguem mexer o braço ou a boca do lado contrário à parte do cérebro lesionada.



"Uma pessoa que teve um AVC no hemisfério direito [do cérebro] não consegue mexer o braço esquerdo e vice-versa", ilustrou o investigador.



Segundo Rui Costa, existem "estruturas no cérebro que, danificadas, fazem com que as pessoas percam a capacidade de fazer movimentos".



As estruturas em causa chamam-se gânglios da base, localizados por baixo do córtex do cérebro e que têm neurónios (células do sistema nervoso).



São os gânglios da base que "ajudam a coordenar normalmente os movimentos". Havendo uma lesão, "o movimento não existe", precisou o neurocientista.

Comentários