Cientistas desenvolvem teste que identifica Alzheimer através de análise ao sangue

Estima-se que em Portugal existam 153 000 pessoas com demência, 90 000 com Alzheimer
11 de março de 2013 - 15h08
Investigadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, estão a desenvolver um teste que, através de uma análise ao sangue, identifica os casos de Alzheimer na sua fase inicial, informou hoje a BBC.
Os cientistas apresentaram as primeiras conclusões dos seus testes, que qualificaram de “muito prometedores”, na conferência sobre investigação daquela doença que decorre no Reino Unido.
O teste poderá fazer-se em qualquer clínica e baseia-se na identificação no sangue de um “conjunto de marcadores” que são diferentes nas pessoas sãs e nas que têm a doença, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.
Os marcadores são essencialmente proteínas que os cientistas associam ao Alzheimer, como a amilóide ou a apolipoproteína, assim como outros elementos sugeridos pelos especialistas como prováveis.
“Os nossos resultados são animadores porque mostram que é tecnicamente possível distinguir entre uma pessoa saudável e uma outra que sofre de Alzheimer usando uma análise ao sangue”, assinalou Kevin Morgan, responsável pelo estudo, em declarações à BBC.
Potencialmente, o teste poderá identificar os sintomas antes do aparecimento da doença, disseram os investigadores, esclarecendo que o teste terá de ser validado e que poderá decorrer uma década até à sua utilização pelo público.

O alzheimer é uma doença neurológica degenerativa que afeta a memória e as habilidades do pensamento. Estima-se que em Portugal existam 153 000 pessoas com demência, 90 000 das quais com Doença de Alzheimer. Todos os anos, 1,4 milhões de cidadãos europeus desenvolvem este tipo de doenças, o que significa que a cada 24 segundos, um novo caso é diagnosticado.

SAPO Saúde com Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários