Cientistas acreditam estar perto de exame de sangue que deteta Alzheimer

Cerca de 200 pessoas foram sujeitas ao exame, precisão do teste encontra-se nos 93%.
30 de julho de 2013 - 11h44
Cientistas alemães afirmam estar próximo de criar um novo exame de sangue para diagnosticar a doença de Alzheimer a partir de uma amostra de sangue. Ainda não há um exame definitivo para a doença e os médicos contam apenas com testes de cognição e exames de imagens do cérebro para identificar o problema.
Um dos grandes desafios no tratamento e combate à doença é a identificação de novas formas de diagnóstico precoce. Espera-se que, no futuro, talvez anos antes dos primeiros sintomas, os tratamentos possam evitar que grandes partes do cérebro sejam comprometidas pela doença.
A nova técnica, divulgada na revista especializada Genome Biology, apontou diferenças nos minúsculos fragmentos de material genético que flutuam no sangue e que podem ser usados para identificar a patologia.
Até agora, apenas 202 pessoas foram sujeitas ao exame, mas a precisão do teste encontra-se nos 93%.
A equipa da Universidade de Saarland, na Alemanha, analisou 140 microRNAs  - fragmentos de código genético - em pacientes com Alzheimer e em pessoas saudáveis. Os cientistas encontraram 12 microRNAs no sangue que estavam presentes em níveis diferentes nas pessoas que tinham Alzheimer. 
Os primeiros testes mostraram que o exame "conseguiu diferenciar com grande precisão de diagnóstico os pacientes com Alzheimer e as pessoas saudáveis", mas o estudo aponta para mais investigações para melhorar a precisão do exame.
SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários