China identifica décimo caso de vírus da gripe das aves H7N9

Três, das dez pessoas infetadas, todas na China, acabaram por morrer
4 de abril de 2013 - 11h23



Um novo caso de infeção humana pelo vírus da gripe aviária H7N9 foi hoje registado pelas autoridades de saúde da província chinesa de Zhejiang, elevando para 10 o número de pessoas infetadas, informou a agência Nova China.



Trata-se de um homem de 64 anos, o décimo a contrair um vírus que até agora nunca tinha sido transmitido aos humanos.



Das dez pessoas infetadas, todas na China, três acabaram por morrer, duas das quais em Shanghai e uma na província de Zhejiang.



Os especialistas já manifestaram a importância de descobrir a origem da infeção e o seu modo de transmissão aos humanos, mas a Organização Mundial de Saúde descartou o risco de pandemia por não haver provas de transmissão de pessoa para pessoa.



O centro municipal de controlo e prevenção de doenças de Pequim não exclui a possibilidade de a nova estirpe gripal atingir a capital, segundo noticiou hoje o diário Notícias de Pequim.



A agência Nova China noticiou também hoje a morte de um paciente com a gripe H1N1 na província central de Hunan.



A gripe H1N1 começou no México propagou-se de forma pandémica entre 2009 e 2010, fazendo no total 18.500 mortos segundo o balanço da Organização Mundial de Saúde.



A estirpe acabou no entanto por se revelar menos mortal a nível mundial do que a maioria das gripes sazonais, que fazem entre 250.000 e 500.000 mortos anualmente.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários