Cerveja mata 69 pessoas por intoxicação em Moçambique

Subiu para 69 o número de pessoas que morreram desde sábado em Chitima, na província de Tete, centro de Moçambique, após o consumo de uma bebida tradicional alcoólica chamada pombe. Há dezenas de outras pessoas internadas.
créditos: AFP

Cerca de 30 pessoas continuam em observação e as autoridades temem que algumas delas venham a morrer.

As vítimas voltavam de um enterro na sexta-feira quando beberam a cerveja em questão, conhecida como "pombe" em Moçambique.

Entre as vítimas está a mulher que confeccionou a cerveja e vários membros da sua família.

A imprensa especula que a cerveja talvez contivesse bílis de crocodilo, um veneno muito potente.

O governo decretou no domingo três dias de luto nacional pela dimensão da tragédia.

Cavaco Silva envia mensagem de condolências

"Na véspera da minha partida para Maputo e ao tomar conhecimento do trágico acontecimento que provocou elevado número de vítimas mortais no distrito de Chitima, na província de Tete, e associando-me ao luto nacional decretado pelo Governo, quero transmitir a vossa excelência e ao povo moçambicano, em nome do povo português e no meu próprio, os sentimentos do nosso profundo pesar e a expressão da nossa muito sentida solidariedade", lê-se numa mensagem enviada pelo chefe de Estado português, Aníbal Cavaco Silva, ao seu homólogo moçambicano, Armando Guebuza.

O chefe de Estado país transmitiu ainda "sinceras condolências" às famílias das vítimas.

Cavaco Silva parte esta terça-feira para uma visita de quatro dias a Moçambique para assistir à cerimónia de tomada de posse do novo chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi.

"Nestes momentos difíceis, o nosso pensamento está com o povo moçambicano, em particular, com as famílias das vítimas, a quem pedimos que vossa excelência se digne transmitir as nossas mais sinceras condolências", lê-se ainda na mensagem divulgada no site da Presidência da República.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários