Centro de Saúde de Miranda do Corvo esteve sem aquecimento desde sexta-feira

O Centro de Saúde de Miranda do Corvo esteve sem aquecimento desde sexta-feira até esta segunda-feira à tarde devido à falta de gás, o que motivou uma queixa no Livro de Reclamações, confirmou o coordenador da unidade.
créditos: LUSA

Contactado pela agência Lusa, o médico César Fernandes disse que a unidade de saúde esteve sem aquecimento desde sexta-feira, devido ao atraso no abastecimento de gás por parte da Unidade de Apoio à Gestão do Agrupamento de Centros de Saúde.

O coordenador do Centro de Saúde referiu ainda que um utente, que se dirigiu à unidade com uma criança, apresentou queixa no Livro de Reclamações.

O reabastecimento de gás foi efetuado já durante hoje à tarde, muito próximo das 16:00, confirmou ainda fonte da unidade de saúde.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, considerou "inadmissível que, num concelho de interior, onde se têm registado temperaturas muito baixas, os utentes, os profissionais de saúde e funcionários não tenham as instalações com o mínimo de conforto que é exigido".

A Lusa tentou contactar a Unidade de Apoio à Gestão do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte I, mas foi informada de que durante a tarde não se encontrava nenhum responsável para prestar esclarecimentos.

O Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte I, com sede na Lousã, engloba também os centros de saúde de Alvaiázere, Ansião, Arganil, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Góis, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela, Tábua e Vila Nova de Poiares.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários