Campanhas antitabaco incentivam 200 mil pessoas a parar de fumar nos Estados Unidos

Campanha foi vista por 80% dos fumadores e 75% dos não fumadores nos Estados Unidos
10 de setembro de 2013 - 10h25



As campanhas antitabaco são eficientes, demonstra um estudo americano publicado esta segunda-feira, segundo o qual mais de 200 mil fumadores abandonaram o vício graças a uma campanha nacional das autoridades sanitárias em 2012.



Cerca de 1,6 milhão de fumadores tentaram deixar o vício, mais de 200 mil conseguiram abandoná-lo e mais de 100 mil tornaram-se não fumadoras permanentes depois da campanha antitabágica da agência para o Controlo e Prevenção de Doenças, informou a organização em comunicado.



A campanha, celebrada entre 19 de março e 10 de junho de 2012, foi a primeira paga pelo governo para convencer o maior número de pessoas a deixar de fumar, a principal causa de morte evitável no país.



O estudo, publicado na revista médica The Lancet, mostra que 80% dos fumadores e 75% dos não fumadores viram a campanha.



De acordo com a investigação, as ligações telefónicas para números especiais para pedir aconselhamento duplicaram durante a campanha e as visitas a sites na Internet dedicados ao tema quintuplicaram em comparação com o mesmo período do ano passado.



A campanha, que custou 54 milhões de dólares, "é uma resposta importante aos 8 milhões de dólares que a indústria do tabaco gasta todos os anos para tornar atraente o consumo de cigarros", destacou ainda o comunicado.



Quase um em cinco adultos nos Estados Unidos fuma. Mais de 1.200 pessoas morrem por dia e 440.000 por ano devido aos efeitos do tabaco. O custo das doenças relacionadas com tabaco para o Estado é equivalente a 96 mil milhões de dólares anuais em cuidados de saúde e a 97 mil milhões em perdas de produtividade, segundo a mesma agência.



As autoridades americanas lançaram uma segunda campanha na primavera de 2013 no hemisfério norte.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários