Campanha do Pirilampo Mágico arranca sábado em todo o país

Desde o início da campanha, em 1987, já se venderam 19 milhões de bonecos
2 de maio de 2014 - 16h22



Seiscentos mil Pirilampos Mágicos, vestidos de lilás, vão estar à venda, a partir de sábado, em todo o país para ajudar 80 instituições de apoio a jovens e crianças com deficiência mental.



A campanha do Pirilampo Mágico, que foi hoje apresentada no Museu da Marinha, em Lisboa, e decorre até 25 de maio, tem como lema " Acende a nossa esperança" e além da venda do tradicional boneco por dois euros, contempla também canecas, pin, t-shirt e chávenas de café.



Desde 1987, data da primeira campanha, foram vendidos cerca de 19 milhões de bonecos, disse à agência Lusa a presidente da Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social (Fenacerci), Julieta Sanches.



Julieta Sanches disse estar “muito otimista” em relação aos resultados da campanha deste ano, devido à “solidariedade dos portugueses, que “é de tal ordem que o pirilampo não se tem ressentido”, apesar da crise.



Presente na apresentação da campanha, a mulher do Presidente da República, Maria Cavaco Silva, apelou à solidariedade dos portugueses, afirmando que “O mês de maio é um mês para pirilampar”.



“É imperioso, é um dever moral, que não deixemos que ninguém se perca”, disse Maria Cavaco Silva, sublinhando que, “quando as coisas estão difíceis, ficam sempre mais difíceis” para as pessoas com deficiência.



Para o ministro da Solidariedade, Emprego e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, “o pirilampo é já um símbolo para os portugueses”.



“É um caso sério de concorrência com outros símbolos portugueses como o Galo de Barcelos”, comentou o ministro.



Salientou o facto de esta iniciativa “chegar a todos os portugueses, sem exceção, e ajudar à construção de um país mais solidário. Isso é, de facto, mágico”.



Mota Soares sublinhou ainda que “é imprescindível reforçar as condições de participação das pessoas com deficiência” e “continuar a melhorar a prestação dos produtos de apoio às pessoas com deficiência”.



“Prioritário é também o reforço das respostas sociais na área da deficiência”, a área “mais deficitária” em termos destas respostas, acrescentou



A Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social sublinhou que o Pirilampo Mágico “é hoje um dos maiores símbolos da solidariedade social” em Portugal e “tem que ser uma ferramenta ao serviço da esperança”.



“Queremos que ajude a mostrar a realidade das pessoas que apoia, os sonhos que transportam consigo, as oportunidades de que precisam para mostrar as suas competências ou para fruir plenamente os direitos de cidadania”, frisou.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários