Banco Farmacêutico promove recolha de medicamentos para doar a insituições

Mais de 130 farmácias de todo o país participam sábado na campanha de recolha de medicamentos para entregar a instituições de solidariedade social, no âmbito do programa Banco Farmacêutico, que já doou 50 mil fármacos em seis anos.
créditos: AFP/PHILIPPE HUGUEN

Entre as 09:00 e as 19:00, 500 voluntários vão recolher em 132 farmácias medicamentos e produtos de saúde não sujeitos a receita médica para distribuir pelos utentes de 75 instituições dos distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém, Évora, Beja, Portalegre, Faro, Aveiro, Porto, Vila Real e Bragança.

O objetivo da iniciativa é “sensibilizar os portugueses para a doação de medicamentos e produtos de saúde não sujeitos a receita médica” nas farmácias, onde o farmacêutico garante a qualidade dos remédios doados, refere o Banco Farmacêutico (BF) em comunicado.

“Só podem ser doados medicamentos novos, seguros e de qualidade e que ainda não tenham estado fora do circuito do medicamento (não são aceites medicamentos vindos de casa) e que correspondam à lista de necessidades de cada uma das instituições de solidariedade social contempladas pela recolha”, explica o BF.

No ano passado, aderiram ao programa 122 farmácias que recolheram 10 mil medicamentos e produtos de saúde, no valor de 40 mil euros, que foram distribuídos pelas zonas centro e sul do país. Este ano, a iniciativa estende-se à região norte.

O BF adianta que, em seis anos de Jornadas de Recolha de Medicamentos, “tem-se verificado um sólido crescimento do número de farmácias aderentes, voluntários, instituições apoiadas e também do número de medicamentos recolhidos”.

Desde 2009, ano em que a iniciativa decorreu pela primeira vez em Portugal, tanto o número de instituições apoiadas como o de farmácias associadas a esta causa quase duplicou, registando-se um crescimento que ronda os 190% em ambos os casos.

“Apesar do contexto de crise económica que temos vivido nos últimos anos, a solidariedade dos portugueses mantém-se e tem crescido. É com muita satisfação que constatamos que a cada nova edição da recolha de medicamentos temos a participação de mais farmácias, as doações são em maior número e conseguimos ajudar cada vez mais pessoas, que é o nosso principal objetivo”, afirma o presidente do BF, Luís Mendonça, no comunicado.

O Banco Farmacêutico nasceu em Milão e a primeira Jornada de Recolha de Medicamentos decorreu em dezembro de 2000. Desde então, a iniciativa tem-se realizado todos os anos no segundo sábado do mês de fevereiro.

Atualmente, a iniciativa, que também existe em Espanha desde 2007, abrange cerca de 3.500 farmácias e já beneficia mais de 450 mil pessoas carenciadas.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários