Autoridades chinesas detêm cinco pessoas no caso de carne estragada na China

Produtos contaminados já começaram a ser retirados do mercado
23 de julho de 2014 - 13h50



A polícia chinesa deteve nesta quarta-feira cinco pessoas por suspeita de envolvimento na rede que vendia carne em mau estado a redes de fast-food como Starbucks, McDonald's e KFC.



Segundo as autoridades de Xangai, entre os detidos estão funcionários da Shanghai Husi Food, uma filial do grupo norte-americano OSI.



No último domingo as autoridades fecharam uma fábrica da OSI onde carne estragada era misturada com carne fresca, um caso revelado por uma televisão local.



Restaurantes como o McDonald's, KFC, Pizza Hut, Starbucks, Burger King, 7-Eleven e Papa John's Pizza estão entre os clientes desta empresa fornecedora na China.



A filial do McDonald's no Japão confirmou que cerca de 20% da carne com a qual fabrica os McNuggets é proveniente da fábrica de Xangai.



A OSI pediu desculpas na segunda-feira e disse estar preoupada com o assunto tendo já acionado a via judicial.



A fábrica de Xangai, fundada em 1996, tem mais de 500 trabalhadores com cinco linhas de produção de carne de porco, bovina e de frango.



A companhia americana OSI fornece desde 1992 carne para o McDonald's na China.



O diretor-executivo do McDonald's, Don Thompson, declarou na terça-feira que a companhia estava a cooperar com as autoridades chinesas na investigação.



Entretanto, os produtos contaminados já começaram a ser retirados do mercado, segundo asseveram as autoridades.



Por SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários