Alimentos probióticos ajudam a prevenir mortes de bebés prematuros

Enterocolite necrotizante pode causar a morte ou paralisia cerebral nas crianças
10 de abril de 2013 - 14h11



Investigadores australianos descobriram que os alimentos probióticos ajudam a prevenir a morte dos bebés prematuros que desenvolvem uma doença intestinal, informaram hoje meios de comunicação social locais.



A “enterocolite necrotizante”, ou NEC, é uma inflamação que causa a destruição da mucosa intestinal e que afeta com frequência os bebés prematuros. Pode causar a morte ou paralisia cerebral nas crianças e, em alguns casos, exige uma cirurgia.



Os alimentos probióticos contêm micro-organismos, bactérias e leveduras, que participam no desenvolvimento e equilíbrio da flora intestinal e estimulam as suas funções protetoras. Além disso, reduzem a inflamação do intestino.



A equipa do médico Girish Deshpande, do Hospital Nepean em Sidney, procurou nos alimentos probióticos uma alternativa de baixo custo para evitar a morte dos prematuros, disse o próprio, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.



Os investigadores misturaram produtos probióticos com o leite materno para alimentar os bebés através de uma sonda, informou a cadeia local ABC.



Segundo a televisão, no último ano nenhum bebé prematuro que ingeriu probióticos mostrou sinais de ter sido afetado pela NEC.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários