Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria tem em falta 26 médicos de família

Concelhos com mais carência são Salvaterra de Magos, Rio Maior, Almeirim, Chamusca e Santarém
27 de março de 2014 - 11h20
O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria necessita da integração de 26 médicos de família para colmatar a carência de clínicos nos nove concelhos do distrito de Santarém que abrange, disse a sua responsável à agência Lusa.
A diretora executiva do ACES Lezíria, Paula Rodrigues, disse à agência Lusa que atualmente existem 93 médicos distribuídos pelos nove concelhos que integram o agrupamento, numa área total de 3.500 quilómetros quadrados, “sendo que 11 médicos se encontram a aguardar despacho de aposentação”.
“Para colmatar a falta de médicos já existente e que se irá agravar com a saída por aposentação dos 11 médicos que se encontram a aguardar o despacho, será necessária a integração de cerca de 26 médicos especialistas em medicina geral e familiar”, afirmou Paula Rodrigues, em resposta a questões colocadas pela Lusa.
A diretora do ACES Lezíria adiantou que o agrupamento aguarda “para saber quantas vagas serão abertas no próximo concurso para colocação de médicos que estão a concluir a especialidade de Medicina Geral Familiar”.
Os concelhos com mais carências de médicos são, neste momento, Salvaterra de Magos, Rio Maior, Almeirim, Chamusca e Santarém, afirmou.
O ACES Lezíria abrange os concelhos de Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém.
Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários