Treino funcional: A nova buzzword do fitness

Treino Funcional não tem o mesmo significado que entretenimento

Muita gente pensa que o treino funcional resume-se a fazer exercícios em superfícies instáveis como o bosu, bolas de fitness, wobble boards ou outros tipos de “gadgets” só porque estão na moda. Mas treino funcional e treino em superfícies instáveis não são exactamente sinónimos.

É verdade que podemos contemplar o treino em superfícies instáveis como uma parte de um programa de trabalho funcional, mas isso não significa que fazer agachamentos num bosu ou numa bola de fitness seja, por si mesmo, um exercício funcional. Depende sempre do objetivo e isso é o que as pessoas e muitos profissionais do fitness confundem.

Se é para trabalhar o equilíbrio (e tendo em conta a capacidade de cada indivíduo) posso admitir que fazer agachamentos com o peso do próprio corpo num bosu tenha algum sentido, mas se o objetivo é trabalhar a força, não creio que seja um exercício muito inteligente e…seguro.

A maioria dos personal trainers define o valor funcional do exercício pelo que parece e não pelos resultados que produz. E parece que quanto mais “coisas” ao mesmo tempo se utilizem em cada exercício, melhor. Aquilo que vemos na foto é somente um de muitos exemplos!

Isto até poderia ter algum sentido, se o objetivo fosse preparar um cliente para entrar num número de Circo ou num concurso de habilidade, mas não me parece que haja muita gente que vá aos ginásios com essa finalidade…

Normalmente as pessoas vão aos ginásios para melhorar a composição corporal, aumentar a força, resistência, flexibilidade, preparar-se para uma competição / torneio, etc. e não é através da abordagem Cirque du Soleil, que ficarão melhor preparadas. Treino Funcional não tem o mesmo significado que entretenimento. Faz sentido?

Até breve e bons treinos!

Comentários