Mãos frias, mas com o coração quente

O frio do inverno profundo está aí, com as temperaturas muito baixas, fazendo com que os casacos quentes, as luvas, os cachecóis e os gorros saiam, todos os dias, do roupeiro. E a sensação não é, de todo, agradável.

Mal saímos da cama está frio; depois do banho está frio, a estender a roupa está frio, a ir para o trabalho está frio; enfim, está frio em todo o lado e em todas as nossas atividades. E, consequentemente, vêm os espirros, a tosse, o nariz vermelho, as frieiras nas mãos e as febres altas. E só conseguimos pensar no Sol no verão e naqueles dias quentes de praia que tardam em chegar. E a melancolia é cada vez maior...

E é normal sentir-se assim. Vários estudos já comprovaram isso mesmo. Por exemplo, num estudo em 2009, concluiu-se que em temperaturas quentes (comparando a temperaturas frias) a perceção e o julgamento das pessoas acerca dos outros e de si próprios são mais positivas. E, por exemplo, em temperaturas quentes, a sociabilização e a vontade de estar com os outros é maior, do que em temperaturas frias. Portanto, a falta de luz é um fator que pode contribuir para as pessoas ficarem mais deprimidas no inverno.

Mas não desanime! Houve um estudo, com 2396 homens que chegou à conclusão que a adaptação a ambientes físicos extremos, como  temperaturas muito baixas, pode proporcionar benefícios na saúde a longo prazo, em certas pessoas. Afinal de contas, todos os anos passa por este frio e há que aprender a lidar com ele! Há que saber tirar proveito deste tempo para, quando chegar ao verão, ter também uma certa melancolia destes meses “menos quentes”. Vou-lhe dar algumas dicas para que, apesar das mãos frias, o coração esteja sempre quente.

1. Aproveitar as tardes frias de domingo, para deitar-se no sofá, enrolado na manta, a ver filmes (se tiver fome, opte por snacks saudáveis);

2. Aproveitar todos os momentos únicos que o inverno e este tempo frio lhe proporcionam: por exemplo, a época de Natal; ou a neve e os desportos na neve; o Halloween; o dia de Todos os Santos e o “Pão por Deus” e o Carnaval. São tantas coisas, que tem mesmo de as aproveitar da melhor forma.

Comentários