As dores nas costas e a osteopatia

Os problemas de coluna afetam mais de 70 por cento da população portuguesa, sendo estes responsáveis por mais de 50 por cento das incapacidades físicas na população ativa e uma das principais causas de absentismo.

Podemos dividir os problemas da coluna vertebral em duas grandes categorias: problemas congénitos e adquiridos.

  • Problemas congénitos: São anomalias de ordem genética, que podem afetar qualquer osso ou músculo do corpo e que geralmente consistem no seu desenvolvimento incompleto. É o caso do torcicolo congénito, de algumas escolioses, dismetria dos membros inferiores (uma perna mais curta do que a outra).
  • Problemas adquiridos: São problemas originados por traumatismos, esforços, más posturas, falta de exercício ou desencadeados por problemas congénitos primários.

As dores nas costas é um dos problemas mais comuns e normalmente só nos apercebemos que temos um problema de coluna quando começamos a sentir dores, dores essas que para além de limitarem os movimentos, pode ser por vezes incapacitantes.

Algumas das principais doenças da coluna são a escoliose, uma deformação em que existe uma curvatura lateral da coluna; problemas de disco, como por exemplo a Hernia discal, cujos principais sintomas são a dor, sensação de formigueiro, dormência ou falta de força num membro superior ou inferior; a espondiloartsose, a artrose das articulações intervertebrais; e a osteofitose (bicos de papagaio).

Sendo a coluna vertebral o canal por onde circulam todos os nervos que se dirigem a todos os nossos órgãos e sistemas, é fácil perceber-se que qualquer alteração na coluna pode ter repercussões a vários níveis. Refiro, no entanto, como exemplo dois que todos conhecemos bem. A dor ciática ou ciatalgia cuja causa mais comum é a lesão da raiz do nervo ciático causada por um disco lombar herniado (hérnia de disco) e as parestesias (dormências) dos membros superiores cuja origem está maioritariamente nas perturbações da coluna cervical.

A osteopatia

A osteopatia visa tratar o doente e não a doença. O seu campo de tratamento é muito amplo pois abrange todo o corpo humano podendo tratar as doenças mais frequentes, nomeadamente ciáticas, lombalgias, cervicalgias, escolioses, hérnias discais e torcicolos, síndromes do túnel cárpico, tensões ou contraturas musculares.

Pode ajudar a resolver enxaquecas, problemas digestivos, insónias, problemas respiratórios ou outros. Não interessa ao osteopata apenas a eliminação do sintoma, ele procura sempre a causa do sintoma para poder eliminar o problema e curar o doente.

Por Ana Passadeiras, Osteopata das Clínicas em Forma

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários