Proteste lança Guia de Vinhos

Um livro diferente de todos os outros é o que promete a Deco Proteste, que reuniu informação detalhada sobre quase 300 vinhos brancos e tintos.

A “credibilidade e isenção são duas das nossas regiões demarcadas”, equipara Nuno Dias, gestor de projetos da Proteste. Partindo de vinhos testados em estudos e inquéritos de opinião, o Guia de Vinhos agora lançado distingue-se pela análise laboratorial extensiva, fator inédito em Portugal. Além de analisados, os vinhos foram sujeitos a provas cegas por um painel de peritos, reduzindo o elemento subjetivo que ocorre quando a seleção e prova é feita por apenas uma pessoa.

“Selecionámos vinhos com base nos estudos de mercado e nas colheitas mais recentes disponíveis. Fizemos as compras tal como qualquer consumidor faz, para garantir condições iguais”, acrescentou o responsável.

Fiel ao seu critério de defesa do consumidor, a Deco tem lutado pela redução do teor de sulfitos nos vinhos portugueses, sensibilizando os produtores para a questão. Os sulfitos são “concentrados à base de enxofre adicionado a todos os vinhos. Em doses mais elevadas, podem provocar náuseas, dores de cabeça e problemas digestivos”, explicou Nuno Dias. Devido a esta preocupação, a legislação portuguesa não só limita, hoje em dia, a quantidade de sulfitos permitida como obriga a indicar a sua presença no rótulo.

Da videira às castas, das regiões ao serviço de mesa, a obra engloba todo o ciclo de vida dos vinhos, fornecendo indicações sobre os melhores do teste e escolhas acertadas. Em cada vinho analisado, além de dados laboratoriais, estão incluídas notas sobre a degustação e indicação dos preços de referência mínimos e máximos.

O Guia da Vinhos Proteste traz ainda um dossier especial sobre vinhos tintos do Alentejo.

Comentários