Lisboa: Angela Carter, a escritora que vai assombrar o Palácio Foz com um jantar mistério

A 21 de outubro o Palácio Foz, em Lisboa, recebe o segundo momento de um jantar memorável. A obra escrita da britânica Angela Carter vai ser reinterpretada à mesa por um colectivo de profissionais de cozinha e alunos de mestrado. A partir das 20h00 a noite vai ser de fantasia, inspiração e muito mistério.

Um dos pratos apresentados no decorrer do primeiro jantar subordinado à obra de Angela Carter,

créditos: Ricardo Bonacho

Em maio último, o restaurante Descobertas, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE), recebeu um jantar singular, “Angela Carter. Appetites beyond the grasp of imagination – Part I”, momento relatado aqui pelo SAPO Lifestyle. Uma noite inspirada na obra da britânica Angela Olive Carter (1940-1992), também ela autora peculiar. Carter, alicerçada na tradição contista europeia reinventou contos de fadas, como o “Barba Azul”, o “Capuchinho Vermelho”, ou o “Gato das Botas”. Na obra desta contista, a abordagem à condição da mulher e a questões sexuais tabu são temas recorrentes. Ler Angela Carter é um desafio, transpor a sua obra para um elenco de pratos servidos à refeição, um duplo desafio, como bem o provaram docentes e alunos do Mestrado em Inovação em Artes Culinárias da ESHTE.

Agora, este mês de outubro de 2017 faz bis à mesa com a obra de Angela Carter, num evento que culmina um ano de comemorações em torno dos 25 anos sobre a morte da escritora. O desafio surge no contexto da Conferência Internacional que decorre em Lisboa, entre 19 e 21 de outubro, “Experiencing Food: Designing Dialogs”. No último dia do evento, no Palácio Foz - Restauradores, André Gerardo e Fábio Abreu, com o apoio de Rui Mota e Filipe Leonor, alunos do Mestrado em Inovação em Artes Culinárias da ESHTE, vão levar a todos aqueles que se quiserem juntar ao jantar “Angela Carter. Appetites beyond the grasp of imagination Part II”, sete pratos de autor tendo como fio condutor um dos livros mais aclamados de Carter, “The Bloody Chamber” (1979).

Estoril: Dentro do quarto sangrento o jantar é de conto de fadas
A escritora britânica Angela Carter (1940-1992).

Na prática, o que iremos assistir a partir das 20h00 é a um desfilar de apetitosas e surpreendentes propostas que procuram captar e transmitir a essência do livro de contos da autora nascida no Sussex, sul de Inglaterra.

Uma noite, por agora, guardada a sete chaves pela equipa de antigos alunos do MIAC, coordenados por Ricardo Bonacho e Maria José Pires, que organizam o jantar. Uma iniciativa que conta com o apoio logístico da Imppacto que irá produzir e organizar o jantar (catering e eventos) e a Vista Alegre que cedeu todos os suportes onde serão empratadas as propostas do menu. Ao Sapo Lifestyle foi levantada uma pontinha do véu, em jeito de capítulos para cada um dos momentos da refeição.  André Gerardo e Fábio Abre prometem levar à mesa um Amuse bouche ("Scene from a voluptuary's life"); duas entradas ( "Sombre delirium, guilty joy" e "If you are so careless of your treasures"); um prato principal ("The voices of my brothers, darling; I love the company of wolves."); duas sobremesas ("I wish I had a girl as white as snow" e "A haunting sense of the imminent cessation of being") e um momento final que promote ser épico ("We must learn to cope with the world before we can interpret it").

Estoril: Dentro do quarto sangrento o jantar é de conto de fadas
Imagens referentes ao primeiro jantar subordinado à obra de Angela Carter.créditos: Joaquim Pinto e Ricardo Bonacho

Sobre Angela Olive Carter, sublinhe-se que nasceu em 1940, em Eastbourne, no Sussex (Inglaterra). Nos anos de 1960 trabalha na imprensa. Em Bristol, onde se licenciou, inicia a carreira literária. Publicou o seu primeiro romance em 1966, com o título “Shadow Dance”, obra escrita como um policial, embora levante questões sobre a vida íntima e sexual da autora. Segue-se “The Magic Toyshop” (1967), obra vencedora do prémio literário Jon Llwellyn Rhys.  Carter explora o crescimento da mulher sob uma abordagem freudiana. “The Sadetan Woman” (1979) é uma obra fortemente influenciada pelas suas experiências no Extremo Oriente. A escritora aborda questões sexuais de modo radical.
Na década de 1980 modera o seu tom, publicando, entre outras obras, “Nights At The Circus” (1984), “Black Venus” (1985) e “Saints and Strangers” (1986), bem como o argumento para o filme “The Company of Wolves” (1984).

O jantar fica nos 120,00 euros por pessoa e as inscrições podem ser efetuadas através do email registration@experiencing-food.com

artigo do parceiro:

Comentários