Feijão-verde

De nome é verde, mas na verdade pode ser riscado e até de tom roxo. Rico em vitaminas e minerais, o feijão-verde é uma boa fonte de fibra alimentar.

- Hoje encontramos, nas grandes superfícies, o feijão-verde fora da sua estação, o Verão, início do Outono. Fora de época, esta vagem pertencente à família das leguminosas, é muito provavelmente, importado ou de estufa;

- Devemos evitar o feijão-verde já embalado. Isto para termos um maios controlo na escolha;

- Uma vagem de feijão-verde fresca parte-se quando a dobramos. De preferência, a vagem deve ser firme, cor uniforme, apresentar um toque aveludado e limpa de manchas. A polpa deve ser suculenta;

- Se uma vagem tem no seu interior os feijões completamente formados, tenderá a ser fibrosa e dura;

- No frigorífico (gaveta dos legumes) o feijão-verde mantém-se com boas aparência e características quase inalteráveis por três dias. Deverá ser conservado num saco com alguns furos. Isto para respirar;

- Se na confeção usar a vagem inteira comece por cortar as duas pontas, começando pela parte que tem o pé. Puxe o “fio” que corre ao longo do feijão-verde e que mantém unidas as duas extremidades. Posto isto, devem ser lavadas de imediato em água corrente e fria;

- Pode cortar o feijão em pedaços enviesados, ótimos para a sopa, ou no sentido do comprimento, por exemplo para acompanhar um peixe cozido;

- Cozendo o feijão-verde no vapor irá preservar as vitaminas e os minerais. Se optar por água a ferver, coza entre 7 a 10 minutos. Não tape o tacho. No final da cozedura, o feijão-verde deverá ter mantido a cor e a textura crocante. No final da cozedura deve escorrer o vegetal muito bem;

- Para utilizar o feijão-verde mais tarde, por exemplo, em saladas, há que mergulhá-lo em água gelada. Manterá assim a cor e a firmeza.

artigo do parceiro:

Comentários