A cirurgia que trava o aumento glandular da mama masculina

Milhares de homens em todo o mundo apresentam um peito com um aspeto mais feminino. Uma situação que a correção cirúrgica de ginecomastia pode corrigir na idade adulta

Milhares de homens em todo o mundo sofrem de ginecomastia, o nome dado ao crescimento das mamas nos homens devido a gorduras ou hormonas. É uma situação tende a ocorrer no início da adolescência. São duas as causas do aumento de volume na região peitoral, o excesso de tecido mamário em decorrência de descontrole hormonal ou acúmulo de gordura. O diagnóstico desta doença pode ser feito por um endocrinologista ou por um cirurgião plástico.

Apesar de não ser uma das intervenções mais feitas, realiza-se regularmente em vários países do mundo, incluindo Portugal. Francisco Ibérico Nogueira, cirurgião plástico formado pelo Conselho Federal do Brasil, esclarece o essencial sobre esta cirurgia.

Que exames servem para detectar as causas da ginecomastia?

Estudos hormonais que detectem anomalias no doseamento das hormonas sexuais, através de uma análise sanguínea.

Por que razão algumas ginecomastias são regressivas e outras persistem?

Algumas ginecomastias estão relacionadas com picos hormonais. Existem fases, sobretudo na adolescência, em que a produção de hormonas femininas pelos homens é demasiado grande, o que leva ao crescimento da mama. Mas trata-se apenas de uma fase, é a chamada ginecomastia transitória.

Há quanto tempo é que é possível tratar este problema?

A correção cirúrgica da ginecomastia já existe há cerca de 45 anos.

O que é a falsa ginecomastia?

É aquela em que o desenvolvimento das mamas é causado apenas pelo aumento do depósito adiposo (acumulação de gorduras).

Que medicamentos a podem provocar?

Aqueles que têm efeitos hormonais e medicamentos percursores das hormonas.

Pode-se confundir a ginecomastia com um tumor?

É possível serem confundidos, já que a zona abaixo do mamilo fica dura e torna-se incómoda. Para descartar a hipótese de um tumor, o especialista faz um diagnóstico diferencial (através de uma mamografia).

Existem medicamentos para a tratar?

Existem. A primeira atitude que o paciente deve tomar quando se apercebe desta alteração hormonal é consultar um endocrinologista, que está munido de armas terapêuticas que tentam combater este problema.

Veja na página seguinte: Em que casos se deve recorrer a esta cirurgia

Comentários